Chablis e sua mineralidade singular, saiba mais.

Bonjour !

Hoje iremos falar da pérola preciosa que é Chablis. Muitas pessoas se confundem e acham que Chablis não pertence a Borgonha por alguns motivos. O primeiro deles é a grande distância sendo localizado ao norte da Borgonha, bem perto de Champagne. Contudo, Chablis faz parte da Borgonha produzindo vinhos brancos de excelente qualidade feitos unicamente da uva Chardonnay. 

O que diferencia os vinhos brancos Chardonnay feitos em Chablis dos vinhos feitos na Côte d’Or, área que vai de Dijon até o sul de Beaune, é a mineralidade precisa e marcante. Essa suculenta mineralidade é um reflexo do solo rico em calcário, mais precisamente de fosseis da era jurássica, levemente misturado com argila branca. Esse tipo de solo é conhecido como calcário Kimmeridigian e ocupa metade do solo de Chablis. E na outra parte da região o solo é uma mistura de calcário Portlandian, uma mistura mais pesada em estrutura e cor mais escura. Adicionando temos um clima mais frio do que a Côte d’Or e esse conjunto faz com que os vinhos brancos de Chablis sejam facilmente reconhecidos pela mineralidade, leveza e frescor.

Chablis possui a sua própria classificação de hierarquia de AOC conforme o seu terroir:

  • Petit Chablis
  • Chablis
  • Premier Cru
  • Grand Cru

Os vinhos da classificação Petit Chablis vêm de terras mais ao extremo do rio Serein que corta a região.

Os vinhos Chablis são de terroirs às margens do rio Serein.

Os vinhos das classificações mais elevadas, Premier Cru e Grand Cru estão localizadas próximos à cidade, sendo o Grand Cru Chablis no lado oposto direito da cidade numa colina. Esse único Grand Cru é dividido em 7 Climats, podendo ser mais facilmente considerado como 7 Grands Crus: Bougros, Les Preuses, Grenouilles, Vaudésir, Valmur, Les Clos e Blanchot.

O mais conhecido de todos é Grand Cru Les Clos, onde a sua mineralidade atinge o seu máximo e possui um grande potencial de guarda.

Em Chablis também temos uma diferença quanto ao restante da Borgonha sobre o envelhecimento do vinho. Em sua grande maioria ele é feito em cubas de inox e não em barris de carvalho francês. A exceção ocorre quando alguns poucos produtores optam pelo envelhecimento em barril para seus vinhos de maior classificação como Premier Cru e Grand Cru. 

Outra diferença é o preço de mercado dos vinhos de Chablis que são inferiores aos da Côte d’Or. Isso ocorre porque a superfície de vinhas é maior, gerando uma maior produção; menor custo de produção já que não usam tantos barris de carvalho francês (um único barril novo custa 700 euros); e o valor do hectare de terra que é inferior ao da Côte d’Or. 

Por essas razões essa área de Chablis ganhou a sua própria notoriedade elevando a diversidade dos vinhos da Borgonha, ganhando novos admiradores que amam esse lado mineral, fresco, seco, que lembra o verão. E você, já experimentou um vinho Chablis? 

FILTROS DE BUSCA

  • TIPO

  • REGIÃO

  • PRODUTOR

  • UVA

  • SAFRA

  • ORDENAÇÃO

  • Limpar filtros