Parcelamos em até 10x com parcela mínima de R$200 | SP Capital frete grátis acima de R$400

Como ler o rótulo de um vinho da Borgonha

Você Sabe Ler Um Rótulo de Vinho da Borgonha?

Uma dúvida bastante comum entre as pessoas ao entrar em uma loja de vinhos é: saber entender o rótulo do vinho no meio de tantas opções. 

Não se engane achando que um parisiense sabe mais do que você somente porque ele é francês. Ele também tem suas dúvidas e também se sente um pouco intimidado ao perguntar ao sommelier da loja.

Portanto, hoje vamos facilitar as informações para você! Ler uma etiqueta de vinhos da Borgonha não é como ler uma partitura de piano ou ler em Braile, tudo é mais fácil do que você pensa. Então pegue a sua taça, salve esse post na sua barra de favoritos e anote as dicas!

A França é um país muito organizado e cheio de regras, mas muitas regras. E para colocar uma etiqueta numa garrafa de vinho são exigidas algumas informações obrigatórias pela lei e outras são facultativas. Vamos começar pelas obrigatórias: 

  1. Nome do vinho que corresponde à sua apelação, como por exemplo “Bourgogne Aligoté” e menção da procedência de qualidade que pode ser um vinho AOC – Apelação de Origem Controlada ou AOP – Apelação de Origem Protegida.
  1. Nome, razão social e a localização do Domaine, Negociante ou Cave Cooperativa que produziu o vinho. No nosso caso, Domaine Sylvain Pataille é o nome e razão Social e o endereço é Marsannay, na Côte na Côte d’Or, France.
  2. Nome do País de produção
  3. Volume da Garrafa que pode ser em cl ou ml. 
  4. Teor alcoólico.
  5. Número do lote, sempre indicado pela letra L no começo. 
  6. Menção de produtos que possam causar alergias como, sulfitos e ovo.
  7. Desde 2007 é obrigatório somente na França, colocar um símbolo dizendo que o produto é proibido para mulheres grávidas. 

Cada Domaine, negociante ou cave cooperativa pode acrescentar mais informações facultativas à etiqueta ou até mesmo na contra etiqueta como:

  1. Ano da colheita/safra
  2. Caso as uvas venham de uma única parcela, pode-se colocar o nome dela em destaque logo abaixo da apelação. No nosso exemplo a parcela se chama Clos du Roy.
  3. Onde foi engarrafado, se foi na região ou na própria propriedade.
  4. Mencionar Vins de Bourgogne ou Grands Vins de Bourgogne
  5. Nome da uva.
  6. Marca ou logomarca ou brasão da Domaine.
  7. Cor do vinho, por exemplo podendo mencionar vinho rosé.
  8. Modo de elaboração ou de cultura, como: vinho biodinâmico ou orgânico (bio).
  9. Tipo de envelhecimento e o seu período, como: barril de carvalho durante 18 meses.
  10. Um pequeno resumo de como foi o ano: inverno intenso, geada no fim de maio, verão quente e seco.
  11. Sugestões de harmonizações.
  12. Pequenos mapas de onde se localizam a parcela desse vinho.
  13. Conselhos de estocagem e temperatura ideal para servir.

Como podemos ver, há muitas informações relevantes para saber a procedência do produto e seus cuidados. Ao importar um vinho para um país, o produtor deve seguir as regras de informações de rótulos de produtos do país importador. No Brasil essa lei é bem exigente e por isso temos que elaborar uma contra etiqueta com muitos detalhes, entre os quais que a venda é proibida para menores de 18 anos, os ingredientes do vinho, menção se contém ou não glúten, evitar o consumo excessivo de álcool, entre outros. E essa contra etiqueta deve sair do produtor já colada na garrafa.  

Agora que você já sabe ler o rótulo de uma garrafa de vinho da Borgonha, basta relaxar com a sua taça de vinho, uma boa música de fundo e bons amigos ao redor!

FILTROS DE BUSCA

  • TIPO

  • REGIÃO

  • PRODUTOR

  • UVA

  • SAFRA

  • ORDENAÇÃO

  • Limpar filtros