Borgonha: dicas de roteiro pela mais prestigiada região produtora de vinhos

Borgonha: dicas de roteiro pela mais prestigiada região produtora de vinhos

Que a Borgonha oferece alguns dos vinhos mais prestigiados do mundo todos nós já sabemos. 

Além disso, conhecer a fundo a história e as principais atrações da Borgonha é extremamente inspirador para aqueles que desejam entender como são elaborados estes grandes nomes do vinho. 

Neste artigo, contaremos um pouco da história desta região e também algumas dicas de roteiro para desbravar os principais pontos turísticos da Borgonha. Claro que para contar tudo, daria um livro, então daremos uma pincelada em alguns pontos importantes.


Breve história da Borgonha

 


A região de Borgonha teve seu auge econômico durante o século X sob o reinado da família Capetiana.

Neste período, Dijon prosperou como um importante centro mercantil e também como um importante centro religioso. Tanto que no ano de 910 o mosteiro de Cluny se tornou o coração da ordem de monges da França e Inglaterra.

E em 1098 foi fundado o mosteiro de Cister, que originou a famosa ordem dos Cistercienses, responsáveis pelos primórdios da produção de vinhos franceses.

Entretanto, após esse período, a região passou por inúmeros períodos críticos, desde invasões, guerras e pela peste negra.

Tendo somente um breve momento de recuperação em 1522, isso graças ao tratado de Saint Jean-de-Losne, que possibilitou a prosperidade e o desenvolvimento industrial resplandecentes na arquitetura renascentista local.

Porém, após esse período a região afundou novamente em um período de crise e após a Revolução Francesa a província da Borgonha foi dividida nos departamentos de Côte-d’Or, Saône-et-Loire e Yonne.

Foi somente em 2016 que essa região foi fundida a região da Franche-Comté a fim de aumentar a eficiência burocrática da região.


Roteiro pela Borgonha

 


A Borgonha vitícola se estende por volta de 300 Km, de Joigny no Yonne até Mâcon na Saône et Loire. Ela é composta de 5 grandes regiões, do norte ao Sul:

  • Chablis e o Grand Auxerrois (no Yonne)
  • A Côte de Nuits ( na Côte d’Or)
  • A Côte de Beaune ( na Côte d’Or)
  • A Côte Chalonnaise ( na Saône et Loire)
  • O Mâconnais ( na Saône et Loire)

 

Dijon

O roteiro pela Borgonha se inicia em Dijon, é o ponto mais próximo da capital francesa. É possível comprar um bilhete de trem em Paris e chegar no antigo centro econômico em 2h, ou de carro em 3h30. 

Assim, como dissemos anteriormente, essa cidade foi um importante pólo mercantil. Por isso, ela é composta por encantadoras construções de calcário datadas dos séculos XV a XIX.

Se você desejar conhecer mais acerca da história local, é possível visitar o antigo Palais des Ducs, onde residiam os mais importantes duques de Borgonha. Ele é agora um museu de arte que recebe visitantes frequentemente.

Ainda em Dijon, é possível caminhar pelas plantações de limoeiros e castanheiras e por fim se hospedar na Hôtel de Vogüé, cuja construção é datada de 1614. Entretanto, se você desejar se hospedar em uma opção mais contemporânea, é possível conhecer o elegante Vertigo Hôtel.

Em Dijon não deixe de visitar também:


Le Château de Tanlay

Esse castelo foi construído durante os séculos XVI e XVII e é um dos mais importantes exemplares da arquitetura renascentista de Borgonha.

Até hoje é possível visitar, nesse castelo, sua galeria Trompe-l’oeil e se encantar por sua ponte levadiça de pedras.


Beaune
 


Esse é o ponto que merece total atenção caso você viaje para Borgonha. Isso porque é em Beaune em que estão situadas a Côte de Nuits e a Côte de Beaune, onde são produzidos os vinhos de grandes nomes da Região.

É possível apreciar os vinhedos desta região de bicicleta e conhecer como é realizada a produção local, além de degustar os vinhos produzidos.

Se você deseja conhecer mais a fundo essa região não deixe de realizar La Route des Grands Crus de que falamos mais especificamente neste artigo.

Ao passar por Beaune não deixe de visitar o Museu do Hospices de Beaune, reconhecido mundialmente como parte fundamental da história dos vinhos franceses e, anualmente, os olhos de enólogos, sommeliers e enófilos se voltam para o famoso leilão do Hospices de Beaune.


Abadia de Fontenay

Esse é um dos monumentos franceses tombados como patrimônio mundial pela Unesco.

Ela está situada entre Auxerre e Dijon e foi fundada em 1118 por São Bernardo de Clairvaux. Atualmente, os descendentes da família Aynard mantém no local um notável restaurante.

Além disso, foram preservadas instalações antigas da Abadia de Fontenay. Como exemplo, os antigos dormitórios dos monges e o local em que eram consertadas as ferramentas agrícolas.


Vézelay

Situado em Yonne, esse vilarejo abriga a Basílica Santa Maria Madalena, também tombada como patrimônio mundial da Unesco. E a Abadia de Vézelay, local que desde a Idade Média expõe relíquias que supostamente são de Maria Madalena.

O vilarejo ainda é repleto de vinhedos, de campos e de casas medievais no vale de la Cure, localizado em frente aos montes do Morvan.


Restaurantes, wine bars e lojas que vale a pena a visita:

Caveau des Arches – Aos pés das muralhas de Beaune, o Caveau des Arches está localizado no antigo fosso da cidade fortificada, em uma bela abóbada do século XVII. Cozinha tradicional, fresca e saborosa, à base de produtos nobres das terras da Borgonha. 

Au Fil du Clos – Novo restaurante em Meursault, come-se com vista para as videiras de Meursault, nos disseram que ali comeram o melhor escargot da França. O chef é Jean-Christophe Moutet reconhecido com um dos maiores chefs da Côte de Beaune. 

La Goutte D’or – Carta de vinhos orgânicos, biodinâmicos, alguns vinhos naturais da região. Cozinha francesa e fusão asiática (principalmente japonesa) com produtos sazonais e frescos.

Maison du Colomber – Uma casa histórica tombada no centro de Beaune, Roland Chanliaud oferece uma seleção de vinhos em taça e em garrafas com cerca de 800 referências, além de uma seleção de produtos e alguns sanduíches para satisfazer os amantes da boa comida. 

La Table de Pauline – Esse é especial, com nome da filha de Pascal, o vigneron do Domaine Charles François, ambiente intimista, como se estivéssemos na casa deles. Os pratos são bem regionais combinados com vinhos do Domaine. 

Caves Madaleine – Um dos restaurantes mais tradicionais de Beaune, bons vinhos combinados com pratos clássicos. 

Le Bout du Monde – Este lugar respira uma espécie de calma, é discreto. Um wine bar com uma perfeita seleção de vinhos, servem comida simples. 

Athenaeum – O parque de diversões dos curiosos, uma livraria imensa com literalmente tudo sobre vinho e Champagne. Livros, mapas, taças, jogos, presentes, vá sem pressa. 

Fromagerie Alain Hess – Outra loja para ir sem pressa, queijos e mais queijos, embutidos, tapenade, pães. Os melhores ingredientes para acompanhar os vinhos. 

Falar Sobre a Bourgogne é praticamente infinito, por isso, apaixonados que somos, deixaremos outras dicas e conteúdos para um próximo artigo.

O maior propósito da Anima Vinum é levar você o mais perto possível para conhecer e sentir os segredos e encantos da Borgonha. Acesse os nossos artigos e mergulhe neste mundo.

FILTROS DE BUSCA

  • TIPO

  • REGIÃO

  • PRODUTOR

  • UVA

  • SAFRA

  • ORDENAÇÃO

  • Limpar filtros