Les vendanges, saiba mais sobre a época da colheita na Borgonha

Les vendanges, saiba mais sobre a época da colheita na Borgonha

Nós da Anima Vinum temos como propósito conectá-lo com a história milenar do vinho na Borgonha e assim, proporcionar uma verdadeira experiência com a região, com o vinho e suas tradições e com o produtor.

Acompanhar o ciclo das videiras é essencial para entender as etapas de elaboração do vinho e o trabalho minucioso dos vignerons. Estamos chegando na melhor fase do ano, a  vendanges, a época da colheita.

Neste artigo, iremos detalhar sobre o ciclo da videira e até chegar no momento da colheita, época de bastante trabalho e concentração para os Vignerons.

 

Ciclo da videira

O ciclo da vinha começa logo após a última colheita é quando os viticultores começam a se preparar para a safra do próximo ano.

 

Setembro e outubro

Esta época do ano é caracterizada pelo outono no hemisfério norte. Nesse momento, as folhas começam a murchar e cair para que assim as videiras possam descansar ao longo dos meses de inverno.

 

Novembro e dezembro

Estes são os meses de inverno no hemisfério norte. Logo, esse período é de repouso, tanto para a natureza como também para os viticultores que retomam o seu trabalho no início do próximo ano.

 

Janeiro e fevereiro

Chegando ao fim do mês de janeiro, os viticultores começam a podar as videiras. Cada agricultor, nessa fase, escolhe o modelo de poda de acordo com o resultado final que se deseja adquirir.

O modelo de poda predominante na Borgonha é modelo Guyot. Nele se poda a videira para que cresçam galhos únicos ou duplos, amarrados por um cordão que lhes garante sustentação.

 

 

O princípio deste sistema de poda baseia-se na manutenção do mesmo fluxo de seiva de um ano para outro, posicionando as feridas da poda somente na parte superior do cordão reduzindo assim o número de feridas na planta e consequentemente a incidência de doenças.

 

Fevereiro e março

Despertar da videira, fim do repouso e o início de um novo ciclo vegetativo da videira, manifestando-se através da perda de seiva pelos cortes da poda, conhecido como o  “choro da videira”. Tudo isso só acontece porque as condições de temperatura aumentam e começam a permitir a atividade enzimática da planta.

 

 

Abril

Ainda, como consequência do inverno, acontece no início de abril a fase dos botões lanudos. Em que surgem dois botões separados nas videiras.

É neste momento em que acontece a última poda das videiras. O material resultante desse processo final é então reciclado pelos viticultores a fim de o reintroduzir no meio ambiente e assim garantir o plantio sustentável.

Passados os meses de outono e inverno franceses, é chegada a primavera.

Entre os meses de abril e maio, é quando os viticultores começam a preparar o solo (arar e fertilizar) para os próximos meses.

As pontas dos botões começam a ficar verdes e as primeiras folhas despertam nas videiras.

 

 

Maio

É durante o mês de maio que os primeiros cachos de flores se tornam visíveis e começam a se separar para dar início a um dos momentos mais importante do ciclo das vinhas.

Depois das pequenas folhas estarem visíveis, segue-se um período de expansão vegetativa durante o qual os fatos mais importantes, por ordem cronológica, são: o aparecimento dos cachos, a separação dos cachos e a separação dos botões florais.

 

 

Com uma floração precoce e explosiva que ocorreu entre os dias 18 e 22 de Maio deste ano, ali se inicia a contagem regressiva para a colheita que este ano deve acontecer a partir da última semana de Agosto (90 a 100 dias do ínicio da floração).

Às vezes, dependendo de algumas circunstâncias, é necessário fazer a chamada Vendages Vertes (poda verde) ou l’éclaircissage, técnica aplicada no início da maturidade da uva, ainda verde, geralmente em meados de julho na Borgonha. O objetivo é equilibrar parte das folhas da videira ou selecionar a produção de cachos, o vigneron poda alguns cachos e escolhe produzir menos e melhor.

 

Les vendanges

Como já explicamos anteriormente, as vendanges é a época de colheita das uvas que acontece na Borgonha.

A cada ano, a data da vendanges é definida por inúmeros fatores como condições do clima, solo e desenvolvimento das uvas. Todos esses fatores são minuciosamente observados pelos viticultores ao longo do ciclo das videiras.

Não podemos esquecer que um bom vinho se faz ainda no vinhedo.

 

 

Esse momento é de intenso entusiasmo e muita concentração tanto para os viticultores e enólogos, que trabalham ao longo do ano todo com as videiras para enfim colher os frutos de seu ofício.

Os vinhos trazidos pela Anima Vinum são elaborados a partir da colheita manual, sendo assim respeitadas as tradições e o cuidado extremo ao manusear as uvas.

Esse período dura cerca 10 a 15 dias e reúne tanto uma equipe de coletores especializados, como também diversos visitantes que chegam a Borgonha somente para participar da fête des vendanges (festa da colheita).

Neste clima festivo, é concebida a última etapa do ciclo das videiras. Após todo o processo de plantio, espera e colheita, os enólogos começam a utilizar a matéria prima para elaborar verdadeiras obras de arte, cada um com seu estilo.

 

Na Anima Vinum selecionamos uma coleção de vinhos provenientes desse cuidadoso trabalho. Da poda a florada, da florada a colheita, da colheita a mesa. Com as próprias mãos os vignerons fazem disso uma filosofia e uma forma de expressão, criando vinhos autênticos, exclusivos e diversificados. Eles chegam até você como um cumprimento entre quem degusta e quem produz. Para nós, este é o melhor de todos os brindes. Acesse o nosso catálogo.

FILTROS DE BUSCA

  • TIPO

  • REGIÃO

  • PRODUTOR

  • UVA

  • SAFRA

  • ORDENAÇÃO

  • Limpar filtros