Champagne de vigneron: o trabalho artesanal do plantio à garrafa

Diferente do comercializado pelas grandes maisons, o Champagne de vigneron tem características que elevam ainda mais esta bebida tão celebrada. Leia mais.


O Champagne é onipresente. Indispensável na hora dos brindes, as borbulhas também vão muito bem com várias outras ocasiões, dos encontros românticos às reuniões entre amigos. A real origem da bebida ainda é motivo de discussão entre muitos enófilos, mas o debate se torna irrelevante diante da majestade das garrafas produzidas por produtores dedicados, verdadeiros artesãos, do norte da França. O Champagne de vigneron, por sua vez, é a expressão máxima de um conjunto único de fatores. 

Que Champagne de verdade são apenas aqueles produzidos na região de Champagne, na França, você já sabe. Mas, saberia dizer a diferença entre aqueles produzidos pelas maisons e os elaborados por pequenos produtores, os também chamados Champagne de vigneron? Ou, então, o que faz desta região tão especial para a produção de vinhos espumantes? Neste artigo, vamos explorar melhor este mundo tão rico ― e delicioso! Acompanhe.


A magia do Champagne 

A localização geográfica da região de Champagne, a área mais setentrional da França, é crucial para que o vinho espumante elaborado aqui seja inigualável. É verdade que o processo de produção pode ser replicado em diversos lugares do mundo, mas em nenhum se encontram as particularidades necessárias para uma bebida excepcional. Não à toa, apenas os produzidos na região podem ostentar a alcunha de Champagnes, enquanto os outros, não devem se intitular desta forma, podendo ser chamados de espumantes.

O solo também tem um papel importantíssimo na elaboração dos melhores espumantes do mundo. Ele é formado por camadas de gesso e realiza duas funções cruciais para a superioridade das uvas: 

  • é um regulador hídrico das parreiras. Absorve a água da época de chuvas (ele é capaz de reter até 40% do seu volume em água), e restitui nas raízes durante a seca;
  • conserva o calor do dia, irradiando-o gradualmente durante a noite. Esse detalhe proporciona uma complexidade única na composição dos cachos.

Evidentemente, esse não é o único fator responsável pelos magníficos espumantes da região. O clima também é fundamental para a excelência. Por conta da sua posição setentrional, as uvas não chegam à perfeita maturação. O que, nem de longe, é um problema para os vigneron récoltants. 

Como o frescor é essencial para um bom espumante, esse estágio pré-maturação é uma vantagem que Champagne oferece para a produção da bebida.


Champagne de vigneron: a verdadeira expressão do terroir da Champagne

Enquanto as famosas maisons de Champagne detém estilo, os vignerons récoltans valorizam o terroir. Os produtores independentes têm como diferencial a possibilidade de oferecer um toque mais peculiar do solo e da terra a seus produtos. Além de, claro, exclusividade: estamos falando de produções entre 3 mil e 60 mil garrafas por ano, em vez de centenas de milhares ou milhões produzidas pelas grandes maisons de Champagne.

Como acontece em outras regiões de destaque, como a Borgonha, o produtor se dedica integralmente ao processo, esforçando-se para transmitir sua filosofia, seu savoir-faire e a expressão de seu terroir. É o “Champagne de autor”. Existem, de fato, aqueles que negociam parte da colheita com as grandes maisons e retém uma pequena parcela para produção própria, mas essa realidade vem mudando, com cada vez mais “terroiristas” assumindo a produção de seus próprios vinhos.

Aqui, chegamos a um ponto importante da distinção entre o Champagne de vigneron e os das grandes maisons. Enquanto as marcas privilegiam o estilo da casa, que parte do conceito de que o espumante deve mesclar lotes de vinhedos espalhados, os pequenos produtores se dedicam integralmente a cada parte do processo, fazendo da produção uma expressão da sua dedicação e amor pelo terroir. O toque pessoal do artesão, o cultivo menor e, consequentemente, melhor acompanhado, dá origem à garrafas pessoais, com estilo e visão próprias do fantástico conjunto de fatores que a propriedade pode oferecer.

Para saber se o Champagne adquirido é de vigneron ou de maison, basta conferir o rótulo. No canto, devem constar as letras RM, de récoltant-manipulant, para os de vigneron. Isso significa que o mesmo produtor que plantou as uvas, elaborou o Champagne. As iniciais NM, por sua vez, identificam os négociant-manipulant, aqueles que adquirem as uvas de outros vinhedos, produzem e comercializam os espumantes.

Embora suas produções sejam menores, portanto, mais exclusivas, os vinhateiros independentes são muitos. Na verdade, existem mais de 15.000 produtores de Champagne. Essa nova era de vignerons traz consigo uma preocupação genuína com a sustentabilidade da produção e do cultivo, prezando por um processo manual e cuidadoso.

E, aqui, mais um diferencial da Champagne: na região, existe um nível mínimo de qualidade a ser atingido. Ou seja, se é um Champagne de verdade, não há possibilidade de se adquirir um produto medíocre.De todo, algumas garrafas, sem dúvida, se destacam. Na Anima Vinum, você encontra uma seleção dos mais exclusivos e elegantes Champagnes de vigneron, onde a expressão máxima do terroir de Champagne pode ser desvendada a cada taça. Conheça nossos rótulos.

FILTROS DE BUSCA

  • TIPO

  • REGIÃO

  • PRODUTOR

  • UVA

  • SAFRA

  • Limpar filtros